Journal of Ibero-Romance Creoles


Volume 9 (2019)

Um olhar sobre o crioulo de Cabo Verde do século XIX
através das cartas de A. J. Ribeiro a H. Schuchardt

Nélia Alexandre

A. J. Ribeiro, primeiro informante cabo-verdiano de H. Schuchardt, escreve uma peça de teatro em crioulo de Cabo Verde (CCV) - A mi qué bóde! ‘Eu sou um valentão!’ - que envia àquele numa das cartas que os dois homens trocaram e que fazem parte do espólio de Hugo Schuchardt Archiv (https://schuchardt.uni-graz.at). Neste artigo, esta pequena obra serve de ponto de partida para a discussão de dois aspetos: (i) o facto de o CCV (variedade de Santiago) do final do século XIX manifestar já características que registamos na sincronia atual da língua e (ii) a crença de que o contacto com o Português, mais ou menos visível em função do perfil do informante, sempre caracterizou o CCV.

Keywords: Crioulo de Cabo Verde, cartas pessoais, contacto de línguas, diacronia, sincronia.

Download [pdf]